terça-feira, 2 de setembro de 2014

1ª TERTÚLIA DA POESIA - Santa Maria - RS

 

1ª TERTÚLIA DA POESIA

01 de novembro de 2014 Theatro Treze de Maio – Santa Maria, RS

  

- REGULAMENTO -


I - DOS OBJETIVOS


Art. 1º - Descobrir e difundir novos talentos na área da produção poética, da arte declamatória e do acompanhamento musical destas artes, bem como consolidar o talento de poetas, declamadores e amadrinhadores já consagrados.

Art. 2º - Divulgar, através da poesia, a história e a cultura do povo do Rio Grande do Sul.

Art. 3º - Proporcionar a integração da comunidade santamariense com poetas, declamadores e amadrinhadores de outras querências, consolidando cada vez mais a cidade de Santa Maria como importante pólo cultural rio-grandense.

II – DA PROMOÇÃO E COORDENAÇÃO


Art. 4º - A 1ª TERTÚLIA DA POESIA é uma promoção/realização da Prefeitura Municipal de Santa Maria, do Galpão da Poesia Crioula, do CPF Piá do Sul, e se integra às atividades e à programação da XXII Tertúlia Musical Nativista.

Art. 5º - A Coordenação da 1ª TERTÚLIA DA POESIA estará a cargo de uma Comissão Executiva, indicada pelo Galpão da Poesia Crioula e nomeada pelo Senhor Prefeito Municipal de Santa Maria, composta por pessoas de reconhecida capacidade e conhecimento, e que atuarão voluntariamente, sem remuneração. A Secretaria da Cultura poderá indicar um representante para integrar esta comissão.

Art. 6º - A Comissão Executiva será a responsável pelo planejamento, organização e execução da 1ª TERTÚLIA DA POESIA.

III – DA PARTICIPAÇÃO E INSCRIÇÃO


Art. 7º - Poderão participar da 1ª TERTÚLIA DA POESIA, poetas, declamadores e amadrinhadores de qualquer parte do Brasil e do mundo, desde que respeitadas as propostas do evento.

Art. 8º - Somente poderão participar poemas inéditos, ou seja, que não tenham sido gravados, impressos ou divulgados em qualquer veículo de comunicação de massa, podendo, entretanto, terem participado de outros festivais, desde que não tenham sido premiados ou registrados em disco ou livro. 

Art. 9º - Os poemas deverão versar sobre os usos e costumes tradicionais do povo gaúcho, sendo que o tema deverá estar devidamente identificado com o contexto político-econômico-sócio-cultural do Rio Grande do Sul, podendo ser valorizados os aspectos locais.

Art. 10º - Os trabalhos deverão ter como base a língua portuguesa podendo, entretanto, conter termos ou fragmentos em língua espanhola ou outras linguagens de povos formadores da cultura gaúcha riograndense.

Art. 11º - É vedada a participação dos componentes da comissão executiva, da comissão avaliadora e integrantes do governo municipal.

Art. 12º - Cada poeta poderá inscrever quantos poemas desejar, podendo classificar apenas 01 (um).

Art. 13º - Cada trabalho inscrito deverá estar acompanhado da ficha de inscrição preenchida, e de 04 (quatro) cópias do poema, digitado em fonte tamanho 12, constando apenas o título. Não será necessária a gravação. 
§ único: Somente serão considerados inscritos os trabalhos que receberem a confirmação do efetivo recebimento por parte da comissão executiva.

Art. 14º - As inscrições serão encerradas no dia 22 de setembro, impreterivelmente.

Art. 15º - Os trabalhos deverão ser enviados para um dos endereços abaixo: 
a)    Correio ou pessoalmente: Casa de Cultura de Santa Maria / 1ª Tertúlia da Poesia, Praça Saldanha Marinho, s/nº, Santa Maria, RS.
b)   E-mail: tertuliadapoesia@13rt.rs com cópia para tertuliadapoesia@gmail.com 

IV – DA SELEÇÃO E GRAVAÇÃO DO CD


Art. 16º - A Comissão Avaliadora, de 23 a 28 de setembro, selecionará até 12 (doze) poemas, que farão parte do CD da 1ª TERTÚLIA DA POESIA.

Art. 17º - Os classificados serão cientificados através de correio eletrônico (e-mail) ou telefone ou correspondência ou através dos veículos de comunicação, no dia 29 de setembro.

Art. 18º - O CD da 1ª TERTÚLIA DA POESIA será gravado antecipadamente e será lançado durante o evento. 

Art. 19º - Os autores serão responsáveis pela gravação do trabalho selecionado e deverão entregá-lo gravado em CD até o dia 08 de outubro, única oportunidade de corrigir a ficha técnica com o nome dos autores, intérpretes e amadrinhadores, para o encarte ou capa do CD da 1ª TERTÚLIA DA POESIA. Vale a data do recebimento efetivo e não a de postagem.

Art. 20º - O trabalho que não for entregue gravado na data estipulada será desclassificado e substituído pelo 1º suplente na classificação, e assim sucessivamente. 

Art. 21º - O estúdio para a gravação do trabalho é de inteira responsabilidade dos autores, porém a qualidade da gravação deverá ser aprovada pelo produtor do disco e o técnico de masterização. 
§ único: Caso a gravação não seja aprovada, o concorrente terá o prazo de 04 (quatro) dias para entregar nova gravação, sob pena de substituição pelo trabalho suplente. 

Art. 22º - A duração da gravação não poderá exceder a 08 (oito) minutos. 

Art. 23º - Todo concorrente, uma vez inscrito na 1ª TERTÚLIA DA POESIA, estará automaticamente cedendo aos promotores os direitos de comercialização dos trabalhos inscritos e autorizando a gravação em CD e/ou DVD, bem como a divulgação do seu trabalho, em caráter irrestrito, ressalvados os direitos autorais pertinentes e previstos em legislação específica. 
§ único: Anexar uma declaração (modelo será disponibilizado) renunciando aos direitos autorais, exclusivamente para a apresentação no dia do evento (exigência do ECAD).

V - DA APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO


Art. 24º - Os poemas serão apresentados no palco da 1ª TERTÚLIA DA POESIA no dia 01 de novembro de 2014, sábado, a partir das 20 horas. 

Art. 25º - A apresentação no palco deverá ser realizada pelos mesmos que participaram da gravação, salvo motivo de força maior e com autorização expressa da comissão executiva. 

Art. 26º - Os declamadores poderão se fazer acompanhar por amadrinhadores, onde ambos estarão concorrendo à premiação específica.

Art. 27º - Cada declamador ou amadrinhador poderá participar da apresentação de apenas 01 (um) poema, de sua autoria ou não.

Art. 28º - Os declamadores e amadrinhadores, quando da apresentação, deverão estar pilchados com a indumentária gaúcha.

Art. 29º - A apresentação do poema não poderá ultrapassar a 10 (dez) minutos. O trabalho que exceder este tempo não poderá ser premiado.

Art. 30º - A apresentação do trabalho no palco será de inteira responsabilidade dos autores, declamadores e amadrinhadores, inclusive quanto ao porte de documentação que os habilite junto aos órgãos de classe.

Art. 31º - O horário para a equalização do som será das 14 às 18 horas, por ordem de chegada, sem prorrogação.

Art. 32º - Para a apuração dos vencedores a avaliação levará em conta o conjunto, ou seja, o poema e a apresentação no palco.

Art. 33º - A escolha do “Melhor Poema” observará somente a qualidade da obra literária, assim como a escolha do “Melhor Declamador” e “Melhor Amadrinhador” levará em conta o desempenho individual.

Art. 34º - Os critérios de avaliação serão de responsabilidade da Comissão Avaliadora (julgadora). 

Art. 35º - A Comissão Avaliadora da 1ª TERTÚLIA DA POESIA, indicada pela Comissão Executiva, será composta por pessoas de reconhecida capacidade e conhecimento, sendo de 3 a 5 componentes. Suas decisões avaliativas, técnicas ou subjetivas, serão soberanas e irrecorríveis.

VI - DA PREMIAÇÃO E AJUDA DE CUSTO

Art. 36º - Cada um dos 12 (doze) poemas selecionados para participar da 1ª TERTÚLIA DA POESIA receberá uma premiação (ajuda de custo) no valor de R$ 800,00 (oitocentos reais), entregues logo após a apresentação do trabalho no palco, para o autor ou para o declamador, através de cheque nominal.

Art. 37º - Os autores receberão a quantidade de 10 (dez) CD para cada poema de sua autoria apresentado no palco da 1ª TERTÚLIA DA POESIA, a título de ressarcimento pelo custo da gravação.

Art. 38º - Os vencedores receberão a seguinte premiação: 
1º lugar  ................................... Troféu Antonio Augusto Ferreira + R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais)
2º lugar .................................... Troféu Antonio Carlos Machado + R$ 800,00 (oitocentos reais)
3º lugar  ................................... Troféu Prado Veppo + R$ 500,00 (quinhentos reais)
Melhor Poema ........................ Troféu Jayme Caetano Braun + R$ 400,00 (quatrocentos reais)
2º lugar .................................... Troféu Chico Ribeiro + R$ 300,00 (trezentos reais)
3º lugar .................................... Troféu Joarez Fialho  + R$ 200,00 (duzentos reais)
Melhor Declamador(a) ............ Troféu Marco Aurélio Campos + R$ 400,00 (quatrocentos reais) 2º lugar .................................... Troféu Ladmir Candaten + R$ 300,00 (trezentos reais)
3º lugar .................................... Troféu Renê da Silva Nunes + R$ 200,00 (duzentos reais)
Melhor Amadrinhador(a) ........ Troféu Noel Guarany + R$ 400,00 (quatrocentos reais)
2º lugar .................................... Troféu Cenair Maycá + R$ 300,00 (trezentos reais)
3º lugar .................................... Troféu Chaloy Jara + R$ 200,00 (duzentos reais)

Art. 39º - Cada um dos avaliadores (jurados) receberá uma ajuda de custo no valor de R$ 800,00 (oitocentos reais).

VII - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 40º - O regulamento e a ficha de inscrição poderão ser encontrados nos seguintes endereços: a) Casa de Cultura - Praça Saldanha Marinho, s/nº, Santa Maria, RS.
c) ou nos endereços virtuais: www.santamaria.rs.gov.br ou www.13rt.rs 

Art. 41º - A Comissão Executiva reserva-se o direito de excluir do evento qualquer participante que se portar em desacordo com os princípios éticos do gaúcho ou não respeitarem as disposições do presente regulamento.

Art. 42º - Os casos omissos neste regulamento serão resolvidos, soberanamente, pela Comissão Executiva da 1ª TERTÚLIA DA POESIA.

Santa Maria, 20 de agosto de 2014. 

Resumo do cronograma de datas para 2014:

a) Lançamento oficial: 02 de setembro
b)      Inscrições: 02 a 22 de setembro
c)       Triagem: 23 a 28 de setembro
d)      Aviso aos classificados: 29 de setembro
e)      Entrega da gravação: até 08 de outubro
f)        Entrega da regravação (se for o caso): até 16 de outubro
g)      Evento: 01 de novembro de 2014.

Comissão de Honra:
-  Cezar Augusto Schirmer - Prefeito Municipal de Santa Maria
-  Marília Chartune Teixeira - Secretária de Município da Cultura
-  Ildo Wagner - Coordenador da 13ª Região Tradicionalista
-  Francisco Miguel Scaramussa - Presidente do Galpão da Poesia Crioula
-  Valmir Bohmer - Patrão do CPF Piá do Sul

Comissão Executiva:
-  Carlinhos Lima - coordenador geral
-  Fabrício Vargas - coordenador
-  Paulo Ricardo Costa - coordenador
-  Dulce Cardoso - secretária
-  Valmir Bohmer - tesoureiro

Comissão Avaliadora:
-  Colmar Pereira Duarte - Uruguaiana
-  Pedro Junior da Fontoura - Bento Gonçalves
-  Claudio Silveira - Santana do Livramento
-  Cássia Machado - Ijuí - revisora/assistente

Homenageados:
-  Antonio Augusto Ferreira (in memorian)
-  Colmar Pereira Duarte

1ª TERTÚLIA DA POESIA

01 de novembro de 2014

Theatro Treze de Maio – Santa Maria, RS




TÍTULO DO POEMA: 
........................................................................................................................................................................

AUTOR(es): 
........................................................................................................................................................................
RG: ..........................................................................   CPF: ..........................................................................
FONE: ..................................................  E-MAIL: ..........................................................................................
ENDEREÇO/CIDADE/ESTADO: ...................................................................................................................
........................................................................................................................................................................

PROVÁVEL INTÉRPRETE: 
........................................................................................................................................................................
PROVÁVEL AMADRINHADOR: 
........................................................................................................................................................................

RESPONSÁVEL PELA INSCRIÇÃO (Autor ou Declamador ou Amadrinhador):
DECLARO ESTAR CIENTE E DE ACORDO COM O REGULAMENTO DA 1ª TERTÚLIA DA POESIA.
NOME: ...........................................................................................................................................................
DATA: ............/............/...................
ASSINATURA: .......................................................................................................

OBS.: A ajuda de custo será paga a um dos autores que se apresentar com a sua respectiva documentação, conforme consta na ficha de inscrição, ou, na ausência destes, ao(s) intérprete(s).


ANTONIO AUGUSTO FERREIRA

                                                                                                

Antonio Augusto Brum Ferreira nasceu em São Sepé, em 1935. Mudou-se na infância para a cidade de Passo Fundo, onde viveu até 1953, quando passou a residir em Porto Alegre. Através de concursos públicos, foi escrivão em Sananduva, Pelotas e Passo Fundo, antes de ser transferido, em 1973, para o Oficio do Registro de Imóveis de Santa Maria, onde viveu, por opção, até vir a falecer em 17 de março de 2008.
O gosto inato pela cultura sul-rio-grandense levou-o a participar, aos 16 anos de idade, da fundação do CTG Lalau Miranda, em Passo Fundo, e a freqüentar o 35 CTG, em Porto Alegre, na década de 50, época em que passou a publicar poemas de sua autoria sob o pseudônimo de "Tocaio Ferreira", em jornais como A Hora e Correio do Povo. Assim que chegou a Santa Maria, Antônio Augusto passou a fazer parte da Associação Tradicionalista Estância do Minuano, onde tem muitos amigos. 
Era bacharel em direito e integrante da Academia Rio-Grandense de Letras e da Academia Santa-Mariense de Letras.
É autor de livros de poesia como “Sol de Maio” e “Alma de Poço”, e do livro em prosa “Tio Bonifa e Seu Cachorro Piraju”, entre outras obras. É conhecido, também, por suas participações, como letrista, em muitos festivais de música nativista do Rio Grande do Sul. Um acervo de composições com letra de sua autoria encontra-se em dois CDs de produção independente, não-comercializável. O CD intitulado "A viagem do balde" traz uma seleção de poemas do autor, interpretados por diversos declamadores convidados, com destaque para a participação de Delcy José de Oliveira.
Iniciou-se no movimento musical nativista em 1980, quando, em parceria com seu sobrinho, o músico Éwerton Ferreira, conquistou a Calhandra de Ouro na 10ª Califómia da Canção Nativa de Uruguaiana, com a composição "Veterano" e obteve, ainda, a classificação de "Entardecer" e "Pago perdido". A partir daí foram muitas as letras de sua autoria premiadas nos festivais, sempre ao lado de excelentes músicos e intérpretes, podendo-se destacar:
-  "Contrabando", com música e interpretação de Luis Bastos e Mauro Ferreira - venceu a 2º Reculuta da
Canção Crioula de Guaíba;
-  "Descaminho", parceria com Éwerton Ferreira e apresentação de "Os Posteiros", sagrou-se a campeã das campeãs dos festivais realizados no interior do Estado, no ano de 1982;
-  "Sol de Maio" e "Como uma Taleira", letras musicadas, respectivamente, por Valdir Santana e Algacyr Costa, encontram-se no disco da 4ª Tertúlia Musical Nativista de Santa Maria;- são três as suas participações no disco da 6a Tertúlia: "Negro Bonifácio", com música de Mauro Ferreira e Luiz Bastos; "Visita", em parceria com Luiz Bastos; e "Renascimento", com Éwerton dos Anjos Ferreira;
-  a canção "Alma de poço", da parceria com Vinícius Brum, foi campeã em Restinga Seca e venceu o Eco dos Festivais, em Tramandaí, no ano de 1990;
-  em 1988, compôs em parceria com seu filho, Mauro Ferreira, a letra de "Flor de Campeira", que recebeu o Troféu da Linha Campeira da 18ª Califórnia de Uruguaiana;
-  no 40º Festival da Música Crioula de Santiago, em 1989, a composição "Calor de Brasas" conquistou o Prêmio de Melhor Letra;
-  em 2003, o poema "Campeiro", musicado por Juliano Jawoski, venceu a Escaramuça da Canção Gaudéria, da cidade de Triunfo;
-  novamente em parceria com o filho Mauro, a letra "A estátua do laçador", com melodia de Luiz Carlos Borges, conquistou a Calhandra de Ouro da edição de 2003 da Califórnia da Canção Gaúcha.
Antônio Augusto é participante assíduo e atuante no Festival da Barranca, congraçamento de artistas e intelectuais promovido anualmente por "Os Angüeras", em São Borja.
Vários poemas seus, levados por intérpretes exímios a concursos de poesia e declamação, conquistaram premiações. É o caso de "Sonho Criador" e "Retrato", na 3ª Chasqueada da Poesia Crioula, de Santana do Livramento; do poema "Meu Pai e Eu", na 2ª Sesmaria da Poesia Gaúcha, realizada em Osório; e "O combate de Rio Negro", no Festival do Galpão da Poesia Crioula e da Nativa FM, em Santa Maria. O poeta orgulhava-se de ser, há mais de uma década, membro da Associação Santa-Mariense de Letras, transformada em Academia, a mais atuante entidade do gênero, no interior do Estado.
A sua obra tem sido agraciada com diversas honrarias:
-  Mérito Literário concedido pela 4ª Sesmaria da Poesia Gaúcha de Osório, em 1999.
-  Mérito Literário atribuído pela Associação Santa-Mariense de Letras, em 2001.
-  No ano de 2002, recebeu o Troféu Negrinho do Pastoreio da Poesia Campeira, outorgado pela Associação Gaúcha dos Municípios, em convênio com a Secretaria de Cultura do Estado e com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre.
-  Medalha Glaucus Saraiva, concedida pela Casa do Poeta de Porto Alegre, em junho de 2002.
-  Comenda Cultural Prado Veppo, conferida pela Câmara de Vereadores de Santa Maria, em agosto de 2002.
-  Patrono da 30ª Feira do Livro de Santa Maria, em maio de 2003.

Em 2004, foi eleito para integrar a Academia Rio-Grandense de Letras, ocupando a cadeira 28, que tem como patrono o João Belém e tinha como ocupante anterior o teatrólogo, jornalista e escritor Edmundo Cardoso.  Disse: - Eu sou muito novo, não tenho 70 anos ainda. Tenho muito o que aprender.
  Em 2006, na criação da ASL-Academia Santamariense de Letras, tornou-se ocupante da cadeira número 1, tendo Luiz Carlos Barbosa Lessa como patrono. Disse: - Tive de renunciar à poesia como uma alcoólatra renuncia à bebida. Estava viciado em poesia. Parei para me dedicar à vida. Casei, tive quatro filhos e estudei. Depois voltei.

COLMAR PEREIRA DUARTE



Filho de Luiz Duarte Júnior e de Alice Pereira Duarte, nasceu em 21 de maio de 1932, no interior do município de Uruguaiana, nos arredores do Touro Passo, rio que corre em sua aldeia, fez desse lugar o centro do seu universo, sua querência e razão de ser de seu ofício de versejar. Mais de setenta anos de vivência campeira nesse pedaço de terra, onde criou mais histórias que vacas e ovelhas; onde aprendeu a batalhar pelo reconhecimento e pelo respeito à cultura popular gaúcha. 
Por esse motivo, em 1971, quando ser gaúcho não era credencial alguma e o governo federal, em poder dos militares, empenhava-se na implantação de um processo de inovação conservadora e de centralização da política e da economia, na montagem de redes de estradas,  de telefonia e de comunicação de massa, no controle das forças militares estaduais pelo exército e na nomeação de interventores para governo dos Estados, idealizou e criou a Califórnia da Canção Nativa do Rio Grande do Sul, abrindo um palco para o nascimento de um movimento cultural independente, hoje reconhecido por lei estadual como Patrimônio Cultural dos Gaúchos.  
Poeta, escritor, compositor; tem trabalhos publicados e outros inéditos, na área de pesquisa, ensaio, teatro, romance, conto, poesia, dança, desenho e folclore, com incursões no rádio e no cinema.
Tem doze (12) livros editados: Sesmaria dos Ventos- poesia (1979), Cancha Reta -narrativa em verso (1986), Cardo -poesia (1993), Tempo de Viver-poesia (2000), Califórnia da Canção Nativa - Marco de Mudanças na Cultura Gaúcha -ensaio (2001), este, em co-autoria com José Edil de Lima Alves, Romanceiro da Salamanca -poesia (2002), O Jardineiro Cego & Mamboretá -poesia (2004),O Correntino e Outros Causos-contos (2006),  Centauros de taquara-novela (2007), Corações de arameromance(2008),Água de Sanga-poesia(2009) e Frutas Amargas-romance(2012)
Também com o título “Tempo de Viver”, no ano 2000, lançou um CD com 14 poemas de sua autoria declamados por Pedro Júnior da Fontoura.
É autor de obras para balé, criadas especialmente para o Balet Brandsen, de Buenos Aires (Argentina), como Curuzu Gil e Garibaldi e Anita, e de uma transposição para balé da Lenda da Salamanca do Jarau, apresentada em Cosquin - república Argentina - em 1976, como convidada especial da Noite de Integração Americana. Esta obra, em 1974, foi apresentada na Califórnia da Canção Nativa, em Uruguaiana, e em breve temporada em Santa Maria, e no Teatro Leopoldina, em Porto Alegre. O balé da Salamanca do Jarau é considerado a primeira co-produção brasileiro-argentina para teatro.
Também no teatro foi premiado com a peça denominada Fogões do Rio Grande, apresentada na Primeira Festa Nacional de Lã.
É autor de várias letras de canções gravadas e de outras tantas inéditas. É um dos fundadores do Grupo de Arte Nativa “Marupiaras”, que obteve vários prêmios na Primeira CALIFÓRNIA DA CANÇÃO NATIVA, inclusive a Calhandra de Ouro, como vencedor do festival.
Foi Patrão (presidente) do Centro de Tradições Gaúchas Sinuelo do Pago, do qual é Sócio Benemérito.
Presidiu o Conselho de Cultura, foi Coordenador de Cultura e Diretor do Centro Cultural de Uruguaiana.
É membro do Instituto Histórico e Geográfico desse município.
É membro do Conselho da Califórnia da Canção Nativa do Rio Grande do Sul.
Possui diversos trabalhos de pesquisa sobre temas gaúchos, muitos já publicados em jornais e revistas, outros ainda inéditos.
Organizou o Museu Crioulo do Centro Cultural de Uruguaiana. 
Acrescentou ao patrimônio do CTG Sinuelo do Pago, o acervo do “Museu do Piá” - único em seu gênero - que recebera de Glaucus Saraiva.
Na década de 80, foi um dos dez autores gaúchos, escolhidos pela Fundação Padre Landel de Moura (Feplam) para participar do projeto denominado “Os Imortais do Rio Grande”.
É o idealizador e um dos criadores da Califórnia da Canção Nativa do Rio Grande do Sul. São de sua autoria o projeto, o primeiro regulamento, a criação das Linhas, o nome e o troféu-símbolo - A Calhandra de Ouro.
É membro da Comissão Bi-nacional pelo Meio Ambiente - Uruguaiana/Paso de los Libres.
É um dos fundadores da Associação de Escritores Sem Fronteiras, que reúne literatos da Argentina, do Uruguai e do Brasil, no interesse de uma efetiva integração cultural. 
É ttular da cadeira nº 40 da Academia Rio-Grandense de Letras.
Pertence à Academia Uruguaianense de Letras.

Entre os Prêmios recebidos encontram-se:

1970 - Primeiro Prêmio de Folclore - Associação Literária - Uruguaiana
1970 - Primeiro Prêmio em Música - Concurso Estadual - Santa Maria
1970 - Primeiro Prêmio de Fotografia - Concurso Estadual - Santa Maria
1971 - Calhandra de Ouro - Primeira Califórnia -  Uruguaiana
1980 - Primeiro Prêmio de Poesia - Academia de Letras - Uruguaiana
1983 -Trofeu Chasque de Ouro da Poesia - Livramento
1991 - Clave de Ouro - Personalidade do Nativismo da Década de 80 - Porto Alegre
1992 - Primeiro Prêmio - Troféu Bento Gonçalves - Triunfo
1995 - Medalha de Ouro do Município - Uruguaiana
1999 - Primeiro Prêmio da “Sesmaria da Poesia Gaúcha“ - Osório
2000 - Troféu “Líderes e Vencedores - Expressão Cultural” - Federasul e Assembléia Legislativa- Porto Alegre.
2002 - Primeiro Prêmio da “Carreteada da Poesia” de São Valentim - Santa Maria
2003 - Primeiro prêmio do “Seival da Poesia Gaúcha” - São Lourenço do Sul
2003 - Medalha de Mérito Literário - “Aureliano de Figueiredo Pinto” - oferecida pela Ass. dos Pajadores e Declamadores Gaúchos - Porto Alegre
2003 - Poeta Homenageado, na “Sesmaria da Poesia Gaúcha” - Osório.
2004 -Troféu Cultura Gaúcha - 50 anos  - instituído pelo Governo do Estado - Porto Alegre
2005 - Título de “Conselheiro Honorário” do Movimento Tradicionalista Gaúcho - Porto Alegre
2005 - Troféu Guri - Instituído pela Rádio Gaúcha RBS - Porto Alegre
2005  - Troféu Negrinho do Pastoreio - Associação Gaúcha Municipalista e Assembléia Legislativa - Porto
Alegre
2006  - Presidente de Honra do II Encontro Literário Internacional do MERCOSUL Realizado pelo Instituto Literário e Cultural Hispânico - Uruguaiana - Paso de los Libres 
2006 - Poeta homenageado do Corredor de Canto e Poesia - Associação Cultural Nativista - Lages - Santa Catarina
2008 - Escritor homenageado pela XVIII Feira do Livro Caçapava do Sul
2008 - Poeta Homenageado no Pealo da Poesia Gaúcha - Alegrete
2008 - Homenageado pela RBS com o Troféu “Um Homem à Frente de Seu Tempo”
2009 - Medalha do Mérito Cultural Oscar Bertholdo - Bento Gonçalves
2011 - Patrono da Feira do Livro - Bento Gonçalves


  

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Poemas Premiados na 5ª Tertúlia Maçônica da Poesia Crioula

Foto : Leo Ribeiro
Por Jairo Reis
http://rondadosfestivais.blogspot.com.br/

O Auditório Dante Barone, da Assembléia Legislativa do Estado, foi o cenário para a 5ª Tertúlia Maçônica da Poesia Crioula, Promovida pelo Piquete Fraternidade Gaúcha, na noite de sábado, 30 de agosto. Subiram ao palco 6 poemas na modalidade Maçom e 6 poemas na modalidade Não Maçon. Logo após a apresentação das obras concorrentes, o público pode apreciar o espetáculo em duo dos intrumentistas Valdir Verona e Rafael De Boni. A comissão avaliadora do festival esteve formada por Rodrigo Medeiros, Carlos Homrich, Rodrigo Bueno, Getúlio Silva e Alberto Salles.
Ao final, os destaques foram estes:

CATEGORIA MAÇOM:
Primeiro Lugar:  Enigma dos Cerros
Autor: Jose Carlos Pereira
Declamador: Paulo Roberto
Amadrinhador: Valdir Verona
Segundo Lugar:  No Princípio... Espada e Verbo
Autor: Moisés Silveira de Menezes
Declamador: Leandro Araujo
Amadrinhador:  Henrique Arboite
Terceiro Lugar: Um Peão de Outro Oriente
Autor: Luis Lopes de Souza
Declamador: Paulo  Ricardo Santos
Amadrinhador: Toco Soledade

Melhor Declamador:  Paulo Roberto
Poema:  Enigma dos Cerros

Melhor Amadrinhador:   Henrique Arboite
Poema: No Princípio... Espada e Verbo

Melhor Tema Maçônico:  No Princípio... Espada e Verbo
Autor: Moisés Silveira de Menezes

CATEGORIA NÃO MAÇOM:
Primeiro Lugar: A Palavra
Autor: Cristiano Pereira
Declamador: Romeu Weber
Amadrinhador: Cláudio Silveira
Segundo Lugar: Cerração
Autor: Carlos Omar Villela Gomes
Declamadora: Liliana Cardoso
Amadrinhador: Geraldo Trindade
Terceiro Lugar: Me Arreneguei
Autor: Cane Garcia
Declamador: Jair Silveira
Amadrinhador: Gustavo Campos

Melhor Declamador: Romeu Weber
Poema: A Palavra

Melhor Amadrinhador:  Gustavo Campos
Poema: Me Arreneguei

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Poemas concorrentes na 5ª Tertúlia Maçônica da Poesia Crioula


Por Leo Ribeiro
www.blogdoleoribeiro.blogspot.com.br

A Comissão de Triagem da 5ª Tertúlia Maçônica da Poesia Crioula composta por integrantes da Estância da Poesia Crioula, após duas reuniões e análise de 236 poemas inscritos, selecionou 12 (relacionados abaixo) que se apresentarão no dia 30 de agosto no Teatro Dante Baroni da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Desnecessário é ressaltar o grau de dificuldade enfrentado por esta Comissão devido, principalmente, a qualidade dos concorrentes. Com os poemas que ficaram ausentes desta escolha daria para se realizar mais dois ou três festivais da mais alta envergadura. Isto só denota o alto nível poético de nossa querência gaúcha.    

5ª TERTÚLIA MAÇÔNICA DA POESIA CRIOULA
Poemas Classificados
(na ordem de apresentação)

CATEGORIA CONCORRENTE MAÇOM

1- UM TRIBUTO A XIRUZINHO
Autor: José Estivalet
Loja: Adayr Paulo Modena 245 (Porto Alegre)

2 – DAS LEMBRANÇAS QUE TRAGO
Autor: Elomar Luiz Parizotto
Loja: Liberdade e Progresso (Soledade)

3 – ENIGMA DOS CERROS
Autor: José Carlos Andrade Pereira
Loja: Fraternidade Universal Nº 70 (Curitiba)

4 – NO PRINCÍPIO... ESPADA E VERBO
Autor: Moisés Silveira de Menezes
Loja: Remanso (São Pedro do Sul)

5 – UM PEÃO DE OUTRO ORIENTE
Autor: Luis Lopes de Souza
Loja: Cavaleiros da Arte Real Nº 3885 (Passo Fundo)

6 – AS TRÊS COLUNAS
Autor: Rodrigo Bauer
Loja: Cel. Aparício Mariense da Silva (São Borja)

CATEGORIA CONCORRENTE NÃO MAÇOM

1 – ME ARRENEGUEI
Autor: Caine Teixeira Garcia
(Bagé)

2 – CERRAÇÃO
Autor: Carlos Omar Villela Gomes
(Uruguaiana)

3 – MILONGA DEL APARTAO
Autores: Cristiano Medeiros e Adriano Medeiros
 (Lages/SC)

4 – UM DIA DESSES....
Autores: Anderson Fonseca, Paulo Ricardo Costa e Ari Pinheiro
(Encruzilhada do Sul – São Francisco de Assis - Jaguari)

5- A PALAVRA
Autor: Cristiano Ferreira Pereira
(Santana do Livramento)

6 – O ÚLTIMO RETIRANTE
Autor: Adão Quevedo
(São Lourenço do Sul)

  Comissão Avaliadora:

Alberto Sales, Rodrigo Borges Bueno, Rodrigo Canani Medeiros, Carlos Homrich e Getúlio Silva.

#Posteira: Renovando as fontes da cultura gaúcha


Confira o texto escrito pela apresentadora do Galpão Crioulo, Shana Müller


Passou o dia do Folclore, comemorado no dia 22 de agosto, e tivemos a oportunidade de fazer um belo programa falando sobre esse tema inesgotável e muito importante na construção do imaginário e da identidade de qualquer povo (aliás, quem não viu, vale a pena conferir aqui). Aí fiquei pensando e refletindo sobre a renovação das fontes de informação da cultura gaúcha.

Um dia fui surpreendida, em casa, com um bilhetinho escrito pelo Paixão Côrtes, me mandando seus livros sobre assuntos variados do Rio Grande do Sul. Do Nico tenho vários, fontes inesgotáveis de poemas e de pesquisa desde a indumentária, história e vários temas. Lessa nos deixou uma obra irretocável e fundamental. Poderia citar outros, sem dúvida, mas acabei lembrando dos mais próximos.

O que me interessa colocar nessas linhas, é a importância que uma bibliografia fundamentada e reflexiva tem na construção e na difusão de uma cultura. Mesmo com os novos tempos, as fontes de pesquisa seguem sendo os bons livros. Deles saem as informações que andam internet afora - para mim, o prazer do papel ainda é insuperável. Ao fazer o programa do folclore, em um determinado momento, me senti contribuindo com uma herança de informação que pode servir na escola, na televisão ou no CTG, e pensei se essa literatura estaria tendo novos autores, novas fontes, novas visões.

Fico feliz em ver que algumas figuras participantes dos movimentos, seja do tradicionalismo ou do nativismo, e mesmo artistas sem rótulos definidos, têm se preocupado em deixar algumas linhas para que se saiba o que se fez. De onde vem nossa arte, nossos eventos, quem protagonizou e ajudou a construir fatos tão bonitos na arte do sul do Brasil.

Falo, por exemplo, de Clarissa Ferreira, musicista (das poucas gurias instrumentistas nos palcos dos festivais) que em seu trabalho conclusivo do curso de pós graduação em música escreveu "Campeirismo Musical e os Festivais de Música Nativista do Sul do Brasil: A (Pós) Modernidade (Re) Construindo o 'Gaúcho'". Ou de Vinicius Brum, que além da linda história como compositor, intérprete e com o Grupo Tambo do Bando, ainda preocupa-se em deixar informação. Como seu trabalho de conclusão do curso de letras, em que escreveu "A Canção Regional Gaúcha: escutando a letra e lendo a melodia", e Alvaro Santi, que há algum tempo registrou uma análise das letras da Califórnia da Canção com o título "Do Partenon à Califórnia: o nativismo e suas origens".

Há poucos dias, recebi também das mãos do amigo e diretor de palco dos festivais há mais de 30 anos, Rico Bertolleti, o Catálogo Memorial dos Festivais Nativistas, que integra o projeto itinerante de exposição de fotografias e shows, que visitou vários eventos do gênero no estado contando a história das primeiras quatro décadas desse movimento musical, com a curadoria artística do Juarez Fonseca (autor de outros tantos textos que contam sobre a música e a cultura do sul).

Em cada um desses trabalhos, é possível encontrar outras tantas referências bibliográficas, mais antigas e mais atuais. A literatura - que bom - segue contando a história da arte daqui. Basta dar uma procurada que a gente encontra prá se informar.

Beijo gente, e até a próxima!
Siga o twitter @galpaocrioulo e curta a página facebook.com/galpaocrioulorbtv

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Divulgadas as Composições do 8° Festival O Rio Grande Canta o Cooperativismo.


Confira abaixo a relação das 20 músicas selecionadas para o 8º Festival O Rio Grande Canta o Cooperativismo:

A FORÇA DO CONHECIMENTO
Ritmo: chamamé
Letra e Música: Cristiano Quevedo
Representando a Cooperativa: Sicredi Região Centro da cidade de Piratini

A VIOLA E O JOÃO BARREIRO!
Ritmo: guarânia
Letra: Paulo Ricardo Costa
Música: Emerson Martins e Arison Martins
Representando a Cooperativa: Sicredi Vale do Jaguari da cidade de São Vicente do Sul
SONHO, COM FACE DE PAÍS
Ritmo: canção
Letra e Música: Rômulo Chaves
Representando a Cooperativa: Sicredi Grande Palmeira da cidade de Palmeira das Missões

ESTUDANDO E COOPERANDO
Ritmo: canção
Letra e Música: Érlon Péricles
Representando a Cooperativa: Sicredi União Metropolitana RS da cidade de Porto Alegre

SOBRE GIZ E QUADRO NEGRO
Ritmo: canção
Letra: Carlos Omar Villela Gomes
Música: Piero Ereno
Representando a Cooperativa: Sicredi Vale do Jaguari da cidade de Santiago

POR UM MUNDO MELHOR
Ritmo: chamamé
Letra: Flaubiano Lima e Piero Ereno
Música: Piero Ereno
Representando a Cooperativa: Sicredi Nordeste RS da cidade de Rolante

O BEM MAIOR
Ritmo: balada
Letra: Caine Teixeira Garcia
Música: Nilton Júnior da Silveira
Representando a Cooperativa: Sicredi Fronteira Sul da cidade de Bagé

LUMES DA COOPERAÇÃO
Ritmo: canção
Letra: Caine Teixeira Garcia
Música: Jean Kirchoff
Representando a Cooperativa: Sicredi Fronteira Sul da cidade de Bagé

O ANDANTE E SUA ESTRADA
Ritmo: canção
Letra: Juca Moraes
Música: João Bosco Ayala
Representando a Cooperativa: Sicredi Centro Leste RS da cidade de Guaíba

O LEGADO DOS AVÓS
Ritmo: chamarra
Letra: Mauro Nardes e Mário Amaral
Música: Vlademir ”Xuxu” Nunes
Representando a Cooperativa: Sicredi União RS da cidade de Entre-Ijuís

CANTO COOPERATIVO
Ritmo: canção
Letra e Música: Flaubiano Lima
Representando a Cooperativa: Sicredi Nordeste RS da cidade de Rolante

SOLUÇÃO INTELIGENTE
Ritmo: vanera
Letra: João Antunes, Lauro Mattos e João Ribeiro
Música: Mário Seffrin
Representando a Cooperativa: Sicredi União RS da cidade de Bossoroca

TRÊS PESCADORES E UM SONHO!
Ritmo: praieiro
Letra: Caio Martinez
Música: Adriano Sperandir e Cristian Sperandir
Representando a Cooperativa: Sicredi Nordeste RS da cidade de Osório

NOS RUMOS DA EDUCAÇÃO
Ritmo: milonga
Letra: Carlos Roberto Hahn
Música: Volmir Coelho
Representando a Cooperativa: Sicredi Nordeste RS da cidade de Rolante

EM CADA VERSO UM PRINCÍPIO
Ritmo: xote
Letra: Rafael Cardozo e Gérson de Souza
Música: Rafael Cardozo e Jonatan Dalmonte
Representando a Cooperativa: Sicredi Região dos Vales da cidade de Dois Lajeados

QUEM ME REPRESENTA
Ritmo: milonga
Letra: Binho Pires
Música: Érlon Péricles
Representando as Cooperativas: Coopatrigo da cidade de São Luiz Gonzaga e Sicredi União Metropolitana RS da cidade de Porto Alegre

ORIGENS E PRINCÍPIOS
Ritmo: milonga
Letra: Alvandy Pereira Rodrigues
Música: Juliano Javoski
Representando a Cooperativa: Sicredi Pioneira RS da cidade de Novo Hamburgo

SESCOOP A RAZÃO DA ESTRADA
Ritmo: chamamé
Letra: Armando Vasques
Música: Ricardo Pouey Carús e Patrick Alves Arias
Representando a Cooperativa: Sicredi Pampa Gaúcho da cidade de Uruguaiana

AS RAZÕES DOS CAMINHOS
Ritmo: milonga
Letra: Diogo Vidal dos Santos
Música: Feliciano Saucedo e Mauricio Silveira
Representando a Cooperativa: Sicredi Pampa Gaúcho da cidade de Uruguaiana

BAIÃO PARA EDUCAR
Ritmo: baião
Letra: Sérgio Rosa e Luciano Lopes Ferreira
Música: Sérgio Rosa
Representando a Cooperativa: Cotribá da cidade de Cruz Alta

O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Rio Grande do Sul (Sescoop/RS) divulga nesta quarta-feira (27) a lista das 20 obras selecionadas para as duas etapas classificatórias do 8° Festival O Rio Grande Canta o Cooperativismo, que ocorrem, respectivamente, no dia 17 de outubro, em Augusto Pestana e no dia 7 de novembro, em Bagé. A etapa final será realizada no município de Ibiraiaras, no dia 28 de novembro.

Seleção e triagem das obras

As obras escolhidas passaram por duas etapas de triagem, conforme descrito no regulamento. Na primeira, elas foram submetidas à triagem das letras por parte de uma Comissão Técnica, composta por quatro pessoas nomeadas pelo Sescoop/RS, através de Portaria. Nessa etapa, a Comissão avaliou se as letras das músicas apresentadas atendiam ao tema proposto no Art. 3° do regulamento: Sescoop/RS – Educação Cooperativista para um mundo melhor.

Na sequência, as letras classificadas na primeira triagem foram avaliadas por uma Comissão Avaliadora composta por profissionais ligados, direta ou indiretamente, ao meio artístico e cooperativo. Nessa etapa, as obras foram avaliadas na proporção de 50% letra e 50% melodia.

Em cada etapa classificatória haverá a apresentação de dez obras musicais e seis serão classificadas para a etapa final, sendo cinco por avaliação da Comissão Avaliadora (jurados) e uma pelo voto popular, votada na noite do evento, como “Música Preferida pelo Público”.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Regulamento 2º CANTO DO BARRIL DA CANÇÃO GAÚCHA


2º CANTO DO BARRIL DA CANÇÃO GAÚCHA

FREDERICO WESTPHALEN

INTERPRETAÇÃO

REGULAMENTO:

1.DEFINIÇÕES E OBJETIVOS:

Art.1ºA 2ª edição do CANTO DO BARRIL DA CANÇÃO GAÚCHA,  a qual será regulamentada por este instrumento, é uma promoção da Prefeitura Municipal de Frederico Westphalen, com organização e coordenação da Secretaria Municipal da Educação e Cultura, e com apoio das entidades tradicionalistas do município.

Art.2º O festival tem por objetivo geral oportunizara revelação de talentos na interpretação de músicas tradicionais do Estado do Rio Grande do Sul, além dos seguintes objetivos específicos:

I-Cultivaros verdadeiros valores da cultura gaúcha, através da música autêntica do Rio Grande do Sul, mantendo vivos a terminologia,os usos e os costumes característicos do povo gaúcho;

II-Oportunizar a promoção e revelação dos intérpretes da música gaúcha , dando visibilidade aos seus talentos;

III- Criar uma consciência artística compromissada com a preservação ambiental e valorização da vida;

IV-Promover o município de Frederico Westphalen, suas potencialidades socioeconômicas, culturais e históricas;

V-Premiar as interpretações destacadas.

Art.3º A linha musical do festival é a música do Rio Grande do Sul, em suas diversas formas, ressaltando os valoresculturais da nossa terra.

Art.4º O festival será realizado na Praça da Matriz Dom Bruno Maldaner de Frederico Westphalen, nos dias13(treze)de setembro de 2014( fase eliminatória) e 20   de setembro de 2014(fase final classificatória).

Parágrafo Único: Nas datas previstas acima, as apresentações terão início, no dia 13(treze) desetembro, às 17 h, e no dia 20 de setembro, às 19h, na estrutura montada para o evento, devendo os candidatos obedecer ao seguinte:

I-Os ensaios e passagens de som serão realizados no dia do evento, em horário a ser definido e informado previamente aos inscritos, sendo responsabilidade de cada candidato o comparecimento no horário previsto, sob pena de apresentar-se sem a realização de ensaio e sem equalização do som;

II- O candidato que não estiverpresente no dia e no horário da apresentação estará automaticamente desclassificado;

III-No intuito de preservar a qualidade do evento e a diversidade do repertório apresentado pelos participantesserão aceitas até 03(três) inscrições da mesma música, prevalecendo a ordem de inscrição.

2. DA ADMINISTRAÇÃO DO FESTIVAL:

Art.5º A administração do 2º CANTO DO BARRIL DA CANÇÃO GAÚCHA compete à Secretaria Municipal da Educação e Cultura, com apoio da Comissão Organizadora, à qual compete o seguinte:

I-Escolher a Comissão Julgadora do Festival, a ser composta por 05(cinco) pessoas de reconhecida idoneidade e qualificação técnica, com notório conhecimento musical e cultural do Rio Grande do Sul;

II- Divulgar o festival através dos mais diversos meios de imprensa;

III-Receber e protocolar as inscrições dos participantes para o festival;

IV- Definir os critérios de avaliação a serem levados em consideração pela Comissão Julgadora em cada apresentação;

V-Constituir tantas subcomissões quantas necessárias para melhor atender aos objetivos do evento e sua organização;

VI-Decidir, em última análise, sobre denúncias, reclamações e situações omissas neste regulamento.

DAS INSCRIÇÕES:
Art.6º As inscrições para o festival serão gratuitas e poderão ser efetuadas entre os dias 18 de agosto de 2014 e10 de setembro   de 2014, podendo ser prorrogadas a critério da Comissão Organizadora.

Art.7ºAs inscrições deverão ser feitas através da internet no e-mail inscricaosmecfw@yahoo.com.br.

&1º Para a validação da inscrição, o candidato deverá anexar ao e-mail da inscrição:

I-Ficha de Inscrição devidamente preenchida, a qualse encontra no site da Prefeitura Municipal de Frederico Westphalen,fredericowestphalen-rs.com.br, disponível para download;

II-Cópias das Letras das músicas que serão apresentadas

III-Cópia digitalizada do documento de identidade do participante.

DA COMPETIÇÃO:
Art.8º A competição musical de interpretação será dividida em duas categorias:

I-Categoria até 14 (quatorze) anos de idade(idade quando da data do evento);

II- categoria acima dos 14(quatorze) anos de idade, sem limite máximo de idade;

Art.9º A competição será constituída por uma FASE ELIMINATÓRIAe, posteriormente, uma FASE FINAL CLASSIFICATÓRIA, mediante as seguintes condições:

I-A fase eliminatória ocorrerá em 13(treze)de setembro de 2014, quando todos os inscritos nas duas categorias apresentarão as canções inscritas, passando à fase final classificatória, da categoria até 14(catorze) anos, os 05(cinco) participantes que apresentarem as melhores notas; os demais estarão automaticamente desclassificados;

II- A fase final classificatória ocorrerá em 20 (vinte) de setembro de 2014, quando os participantes classificados apresentarão canção diversa da executada na fase eliminatória, também previamente informada na ficha de inscrição, sendo sujeitos a nova avaliação final.

Art.10 Quanto à apresentação do intérprete no festival verificar-se-á o seguinte:

I-O acompanhamento musical é de responsabilidade exclusiva do concorrente, independente da categoria sendo de livre escolha do mesmo;

II- Quanto ao disposto no inciso I, o concorrente poderá se fazer acompanhar, em sua apresentação, de outros músicos ou integrantes, ou por meio eletrônicos (playback);

III-A Comissão Organizadora não disponibilizará músicos instrumentistas, nem apoio vocal aos participantes, ficando a cargo exclusivo do concorrente, como previsto nos incisos anteriores;

IV-A Comissão Organizadora não disponibilizará ajuda de custo para os concorrentes.

5. DA PREMIAÇÃO:

Art.11 Aos vencedores da fase final classificatória atribuir-se-ão os seguintes prêmios:

I-CATEGORIA ATÉ 14 ANOS(QUATORZE) ANOS:

a)1º lugar:R$ 600,00(seiscentos reais);

b)2 º lugar:R$ 400,00(quatrocentos reais);

c)3º lugar:R$ 300,00(trezentos reais).

II-CATEGORIA ACIMA DE 14(QUATORZE) ANOS:

a)1º lugar:R$ 2.000,00(dois mil reais);

b)2 º lugar:R$1.200,00(mil e duzentos reais);

c)3º lugar:R$ 700,00(setecentos reais);

d)4 º lugar:R$ 500,00(quinhentos reais);

c)5º lugar:R$ 300,00(trezentos reais).

III- CANTOR REVELAÇÃO:

a) Premiação: R$ 500,00 (quinhentos reais).

6.DA COMISSÃO JULGADORA:

Art.12 A Comissão Julgadora, a quem caberá a apreciação dos itens de avaliação de cada apresentação, será composta de 05(cinco) pessoas de notório conhecimento musical e cultural do Rio Grande do Sul, escolhidos pela Comissão Organizadora.

Parágrafo Único:dentre os membros da Comissão Julgadora, será escolhido 01(um) a quem competirá a função dePresidente, ao qual caberá análise de qualquer decisão a ser tomada.

7. DOS CRITÉRIOS E ITENS DE AVALIAÇÃO:

Art.13 Cada membro da Comissão Julgadora avaliará e atribuirá notas a cada concorrente quando de suas apresentações, nos seguintes itens:

I-INTERPRETAÇÃO(POSTURA CÊNICA);

II-AFINAÇÃO;

III-RITMO;

IV-LINHA MELÓDICA;

VI-FIDELIDADE À LETRA;

Art.14 Em caso de empate nas notas entre os candidatos, como critério de desempate, obedecer-se-á às maiores notas atribuídas na ordem estabelecida no art.13.

8.DAS DISPOSIÇÕES FINAIS:

Art.15 Os casos omissos deste regulamento serão resolvidos pela Comissão Organizadora.

Art.16 As Comissões Organizadora e Julgadora serão soberanas em suas decisões, destas não cabendo recursos.

Art.17 É condição eliminatória do concorrente o descumprimento de qualquer disposição deste regulamento.

Art.18 Em caso de dúvidas ou para quaisquer informações, entrar em contato pelo telefone(55) 3744-5017 (Secretaria Municipal da  Educação e Cultura) ou pelo e-mail inscricaosmecfw@yahoo.com.br

Art.19 Será desclassificado o candidato que apresentar indícios de embriaguez ou uso de substâncias entorpecentes.

3° Reculutando a Potrada - Regulamento



A realização da terceira edição do festival de interpretes Reculutando a Potrada, é o reconhecimento de um evento que surgiu com objetivos bem definidos e coerência em seu propósito . Em sua edição inicial obteve sucesso no que se refere a qualidade dos interpretes que participaram. Diante de todas as dificuldades encontradas ao se realizar um evento destas proporções, desde a sua concepção, foi com enorme satisfação que a RADIO QUEO QUERO, assumiu o compromisso de dar seqüência a este projeto com o apoio da Quero Quero Produções, Acamaparh, Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Festejos Farroupilha 2014. Assim quando soar os primeiros acordes e ecoar os primeiros aplausos saberemos que as dificuldades superadas desde a idéia que virou projeto e se tornou evento, foram apenas a exigência de maiores esforços para que possamos dar o melhor em prol da autentica cultura do Rio Grande do Sul. Mantendo-se firme na proposta de ampliar e dar continuidade com os intensos que norteiam a 3ª edição do Festival Reculutando a Potrada que acontece nos dias 12-13 e14 de setembro de 2014 no Parque Mauricio Sirotisk Sobrinho em Porto Alegre RS.



1º O Reculutando a Potrada 3ª edição será realizado pela RADIO QUERO QUERO com apoio da Quero Quero Produções, Acamparh, Prefeitura municipal de Porto Alegre e Festejos Farroupilha 2014.

2º O festival será realizado em duas eliminatórias e a finalíssima .
Primeira eliminatória dia 12 de setembro as 16hs.
Segunda eliminatório dia 13 de setembro as 16hs
A finalíssima dia 14 de setembro as 16hs todas no palco principal do evento.

3ª Serão classificadas 6 musicas em cada eliminatória tento a comissão organizadora o direito de realizar triagem se as inscrições ultrapassarem 20 musicas por eliminatória. Todos os interpretes e musicos deverão estar apostos junto ao palco 20m antes do incio de cada eliminatória e finalissima podendo ser desclassificado em caso de atrazo.

4ª Poderão participar do festival interpretes de qualquer parte do pais e estrangeiros maiores de 14 anos desde que se submetam a este regulamento.

5ª As composições deverão ser apresentadas com a letra e nome dos autores na ficha de inscrição, não necessariamente musicas inéditas, pois trata-se de um festival de interpretes. Será exigido do candidato 3kg de alimento não perecível que será devidamente doado a uma entidade previamente selecionada no dia da final.

6º Da Premiação
1º Lugar receberá Troféu mais R$ 2000,00
2º Lugar recebera Troféu mais R$ 1000,00
3º Lugar recebera Troféu mais R$ 500,00
Musica mais popular receberá troféu
Melhor instrumentista receberá troféu

7º As inscrições estarão abertas no acampamento farroupilha no PQt Tramela Barro (lote 165), email: reculutando@outlook.com  de 29 a 13 agosto de 2014. Não serão   aceitas inscrições   incompletas e sem  os 3k de alimento não perecíveis. Maiores informações pelos fones: 51 8553-8694 oi 9637-8076 vivo.

8º A comissão organizadora da 3º edição do Reculutando a Potrada é composta por:
Ademir machado Morais
Rogerio Lara
Marcos Vinicius Lara
Ricardo Fontoura
Juliane Borges de Lima

9º Avaliação
Cada avaliador recebera uma ficha contendo os seguintes itens: AFINAÇÃO, LETRA E EXECUÇÃO INSTRUMENTAL. O resultado das classificações e premiações serão realizadas por pontuação após cada eliminatória e finalíssima.

10º A mesa avaliadora será composta por:
Vinicius Brum
Ricardo Pacheco
Marco Lima

Shows :
Dia 12 show com Marco Lima
Dia 13 show com Associação Coral Balneario Arroio do Silva - SC.
Dia 14 show com Grupo Cacimba

Ricardo Fontoura
www.radioqueroquero.net

Fonte: Blog Identidade Campeira